8.2.06

Senegal defronta Noruega em Dakar

Dakar, Senegal (PANA) - A selecção de futebol do Senegal deverádefrontar a sua similar da Noruega a 1 de Março em Dakar, num jogo amistoso por iniciativa da ONG "Plan Noruega", declarou o diretor da organização caritativa Sandro Parmeggiani. O diretor da Plan Noruega disse segunda-feira à imprensa em Dakar que este jogo servirá de lançamento para uma campanhade mobilização de fundos para financiar os programas da ONG afavor das crianças dos países subdesenvolvidos, sobretudo apromoção do registo à nascença. O selecionador norueguês, Age Hareide, declarou em Dakarque fará jogar os melhores futebolistas da sua equipa durante este jogo que considera como uma ocasião para as estrelas do futebol dos dois países contribuir para a luta contra a infância em aflição no mundo. O jogo será seguido de um concerto animado por vedetas da música africana, dos quais os senegaleses Youssou Ndour e Didier Awadi, a beninense Angélique Kidjo e o ivoiriense AlphaBlondy. Os organizadores da manifestação anunciaram igualmente aparticipação do grupo norueguês "A-HA", dos artistas britânicos Phil Collins, Peter Gabriel e Sting, da americana Tracy Chapmane da sueca Neneh Cherry, mas as suas presenças em Dakar carece de confirmação.
http://www.panapress.com/freenewspor.asp?code=por029176&dte=07/02/2006

2 comentários:

Danilo Blumetti disse...

Opa, grande notícia!! Vem muita coisa boa por aí ainda!! E o Mags já prometeu um DVD da Analogue Tour ni final do ano.

Mudando de assunto, vc viu, Aloísio, a correção ridícula que o tal do Hagamenon fez no Correio da Bahia? Mandei um e-mail pra ele muito bem redigido com o link do The Independent. Manda um também.

Aloisio disse...

Olá Danilo!
As novidades do a-ha são animadoras, mas a posição dos "críticos nacionais...". Assim que ele (Hagamenon) publicou a primeira resenha, enviei para ele um e-mail comentando que a gravadora agora era a Universal e informei sobre os links, assim como você fez. Infelizmente ele ainda fez pior... Mas é aquela história, o que importa mesmo é a banda e valorizemos aqueles que não carregam o preconceito contra a banda. E tem mais, acredito no Analogue.